Imprensa


2016-11-07

Medalha Municipal de Honra


Justiça e Gratidão fazem parte do ADN de Paços de Ferreira.
No próximo dia 6 de Novembro, por ocasião do 180º aniversário do nosso Concelho, a empresa Petratex- Confeções, S.A. será agraciada com a Medalha Municipal de Honra.
Fundada em 1989 em Portugal, a Petratex, S. A. é uma empresa que desenvolve a sua actividade em diversas áreas do sector têxtil e que adquiriu uma posição de liderança na indústria graças à combinação bem-sucedida de esforços entre as suas unidades fabris em Portugal, na Tunísia e em Marrocos, estas últimas vocacionadas para a produção em massa de vestuário, considerado como produto padrão.
O apurado sentido de negócio e o seu know-how permite-lhe oferecer uma vasta gama de produtos a uma audiência global, dentro dos seus mercados-alvo: Moda, Desporto e Alta-tecnologia.
É na sua fábrica de Paços de Ferreira que produz os artigos com mais incorporação tecnológica e com maior valor acrescentado, sobretudo vestuário técnico, ligado à área da saúde e ao desporto de alta competição e alta costura para a elite das marcas de luxo da moda mundial.
É nela que se encontra centralizado todo o processo criativo, de desenvolvimento de novos produtos, de inovação tecnológica, de melhoria de processos até da própria gestão da empresa.
Na Petratex dedicam-se continuamente ao estudo e investigação acerca de tudo o que estiver relacionado com a sua indústria, com o seu mercado, com o seu ambiente económico e, obviamente, com os seus mais de 170 clientes.
Este é o resultado de uma mentalidade focalizada no melhoramento contínuo e na inovação.
Recordamos artigos publicados em jornais e revistas, de prestigio nacional e internacional, como a WWD Wednesday (que, em 2005, dava conta do enorme sucesso das T-shirts sem linhas de costura, comercializadas pela Nike, mas concebidas e fabricadas pela Petratex, em Paços de Ferreira, segundo a técnica “NoSew”, desenvolvida por esta ao longo de três anos) ou a Time (que, em 2008, fazia eco dos records sucessivos, batidos nos Jogos Olímpicos de Pequim por Michael Phelps, nadador dos EUA, usando um fato em fibra – O LZR Racer, comercializado pela Speedo, produto com grande incorporação tecnológica, resultado da cooperação internacional, mas igualmente fabricado em Paços de Ferreira pela Petratex), que granjearam notoriedade à empresa e a tornaram o principal centro de interesse dos gigantes da têxtil e a elite da moda e do desporto.
Foi com esta mentalidade vencedora, esta procura contínua da excelência, incutida pelo seu accionista e CEO da empresa, o Comendador Sérgio Neto, que contornou o problema da deslocalização da produção das grandes marcas, suas clientes, para o continente asiático (no período compreendido entre 1995 e 2005, durante o qual vigorou o acordo sectorial ATC- Agreement on Textiles and Clothing e se deu a entrada da China na OMC (2001)), vendo-se forçada a procurar no segmento do vestuário técnico e das produções de luxo para alta costura consideráveis vantagens competitivas sobre os seus concorrentes diretos, estratégia que lhe valeu um crescente aumento do volume de negócios (em 2002 era inferior a 25 Milhões de euros, passando em 2015 para um valor superior a 65 Milhões de euros) resultado de um crescente aumento do volume de vendas, onde cerca de 98% da sua produção é destinada à exportação.
Este novo posicionamento diferenciador, aliado a uma política de permanente valorização do seu capital humano (a Petratex tem, actualmente, 591 funcionários e gera mais de 2.500 postos de trabalho indirectos, pela via da sub-contratação) tem valido à empresa Prémios de Exportação & Emprego, como o que lhe foi atribuído em Lisboa, em 2013, iniciativa do BES e do Jornal de Negócios, em parceria com a Coface e a McKinsey & Company, resultado da selecção feita entre 3700 empresas concorrentes.
É uma empresa com responsabilidade social e com preocupações ambientais. Além do investimento contínuo na componente formação, proporcionando aos seus colaboradores oportunidades de crescimento pessoal e profissional, a empresa ouve os seus trabalhadores previamente à tomada das grandes decisões de gestão (medidas tendentes à redução da pegada ecológica, adopção de estratégias de redução da fatura energética, remodelação e/ou ampliação de instalações, fixação de objectivos anuais e calendários de formação passam pelo crivo do colectivo), proporciona-lhes agradáveis condições de trabalho (mobiliário ergonómico e funcional, espaços de trabalho bem decorado e atractivo, com luz natural), disponibiliza-lhes espaços de convívio e bem-estar (ginásio, cantina com refeições saúdaveis, variadas e equilibradas, várias áreas de coffee-break, espaços verdes), parques de estacionamento privado, com vigilância 24 horas, e medicina do trabalho para monitorização do estado de saúde dos colaboradores).
No âmbito da responsabilidade ambiental, a empresa utiliza equipamentos e tecnologias eficientes do ponto de vista energético (painéis solares que cobrem toda a unidade de produção e lhe permite a redução da fatura energética em cerca de 30%, utilização de lâmpadas de tecnologia LED), caldeira de biomassa que lhe permite reduzir as emissões anuais de CO2 em 662 toneladas, além de incutir nos seus colaboradores uma cultura de gestão responsável da energia ao nível da empresa.
Esta é, pois, uma empresa que não só prestigia nacional e internacionalmente o sector económico que representa, como eleva o nome de Paços de Ferreira noutros palcos no mundo, sendo, por isso, razão de admiração e estima por parte de todos os pacenses e, como tal, merecedora de reconhecimento público.